Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Realidade virtual aplicada à área nuclear
Início do conteúdo da página

Realidade virtual aplicada à área nuclear

Criado em 2005, o Laboratório de Realidade Virtual Imersiva do IEN (LabRV) atua no desenvolvimento de produtos que aplicam as técnicas de Realidade Virtual (RV) em problemas relacionados à produção e utilização da energia nuclear e radiações ionizantes. Esses produtos do LabRV são de três tipos, citados a seguir.

Divulgação científica

A promoção do conhecimento dos benefícios gerados pelo o uso pacífico da energia nuclear é o principal foco da atuação em divulgação científica do LabRV. Nesta área os produtos têm o objetivo de esclarecer os temas relacionados à área nuclear para a população em geral (mais especialmente para estudantes), e consistem em vídeos, jogos e ambientes imersivos, como o que gera uma visita virtual ao Reator Argonauta.

 

Sala do Reator Argonauta.

 

Treinamento

Ambientes virtuais já se estabeleceram como meios auxiliares de instrução e treinamento, pois possibilitam ao treinando um ambiente seguro e de baixo custo para a realização de parte do aprendizado dos procedimentos operacionais e de segurança de seu ofício específico.

Para poder atuar em ambientes com presença de radiações ionizantes e materiais nucleares, o profissional precisa passar por um intenso treinamento e, em ambientes virtuais, o indivíduo em treinamento não está exposto aos riscos do ambiente real de trabalho.

No caso de atuações em equipe, essas podem ser realizadas em ambientes virtuais colaborativos, onde múltiplos usuários compartilham o ambiente virtual e interagem na simulação de suas respectivas atividades.

 

Ambiente de treinamento colaborativo representando o Maracanã.

 

Simulação

Ambientes virtuais têm ampla aplicação na realização de simulações que, no âmbito do mundo real, poderiam ser demoradas, custosas, perigosas, e, em casos extremos, impraticáveis. Com a RV pode-se realizar experimentos e simulações de qualquer natureza sem prejuízos para indivíduos, meio ambiente e instalações, associados a um custo substancialmente mais baixo que o de um ensaio real.

Projetos atuais do LabRV

Atualmente, além da divulgação científica, o LabRV concentra seus esforços em duas vertentes principais: a Medicina nuclear e a Proteção física de instalações nucleares. De uma forma geral, os produtos para treinamento são simuladores, o que deixa indefinida a fronteira entre os dois. Por causa disso, os simuladores mencionados também são utilizados em treinamento.

Medicina nuclear

As radiações ionizantes têm muito uso na área da medicina, tanto em diagnósticos como em tratamentos. Os profissionais de saúde que atuam em Medicina Nuclear precisam de um treinamento específico na manipulação de substâncias radioativas – os radiofármacos – e na aplicação das radiações ionizantes. Os pacientes que se submetem a esses tipos de tratamento também devem respeitar uma série de recomendações.
Para esses fins, estão em desenvolvimento no LabRV simuladores de serviços de medicina nuclear, que incluem: radiofarmácias, clínicas de radioterapia, ambientes de clínicas de medicina nuclear e quartos terapêuticos. Esses simuladores têm múltiplas aplicações, e são usados para treinamento de profissionais e esclarecimento dos pacientes.

 

Modelo virtual de um bunker de radioterapia.

 

Proteção física de instalações nucleares

Instalações nucleares necessitam de esquemas de segurança (Proteção Física) condizentes com o grau de perigo representado pelo roubo ou sabotagem de materiais radioativos. O aprimoramento dessas estratégias de proteção e o treinamento da equipe que a colocará em prática é uma atividade demorada, custosa e por vezes perigosa. Esta se constitui numa ótima aplicação para técnicas de RV, e, desta forma, são desenvolvidos no LabRV simuladores dos ambientes da instalação, no caso o próprio IEN, para a realização (com baixo custo e zero risco) de exercícios de proteção física.

registrado em:
Fim do conteúdo da página